Este portal não gerencia cookies de perfilamento, mas usa cookies técnicos para a autenticação, navegação e outras funções. Navegando, você aceita receber cookies no seu dispositivo. Visualiza todas as informações.
Italiano Inglês Francês Português Espanhol

Glossário da dieta mediterrânica

A dieta mediterrânea é um válido modelo alimentar para a manutenção da boa saúde e para a melhoria da qualidade de vida. Devemos considerar o seu papel na prevenção de doenças crônicas degenerativas, em termos de redução da mortalidade e morbilidade. "A dieta mediterrânea é constituída principalmente por alimentos de origem vegetal: a massa, presente em diferentes tipos, legumes e folhas da estação temperados com azeite de oliva, queijos e tudo complementado com frutas e consumo moderado de vinho" (Ancel Keys, 1995). 

As orientações para uma saudável e correta alimentação italiana (revisão de 2003), que têm a tarefa de orientar os indivíduos para um objetivo nutricional, sugerem que o consumo de frutas e vegetais fornece uma entrada de nutrientes, como vitaminas e minerais. Ao mesmo tempo, ajuda a reduzir a densidade energética da dieta através da alta porcentagem de água e graças à ação do saciante das fibras alimentares. As frutas e verduras permitem muitas possibilidades de escolha a cada estação e é conveniente que elas estejam presentes em abundância na mesa, a partir do café da manhã e, possivelmente, como lanche. Os hábitos alimentares dos povos do Mediterrâneo progressivamente se enriqueceram com alimentos ricos em proteínas, gorduras saturadas e açúcares até superar o limite de nutrientes necessários.

A fim de orientar as pessoas em direção a comportamentos alimentares mais saudáveis, o Ministério da Saúde nomeou um grupo de especialistas para desenvolver um modelo de referência da dieta coerente seja com o estilo de vida atual que com as tradições alimentares da Itália. Nasceu então a pirâmide alimentar semanal do estilo de vida italiano que se baseia na definição de Quantidade de Bem-Estar (QB) referente seja a comida que a atividade física. A partir deste modelo foi eleborada a pirâmide alimentar diária, que indica quais porções de cada grupo de alimentos devem ser consumidas para que a nossa alimentação seja variada e equilibrada. Assim, a QB de comida e movimento, se adaptadas às necessidades do indivíduo, permitem orientar o estilo de vida para um equilíbrio entre a ingestão de alimentos e dispêndio de energia; se previne, assim, o excesso de peso e obesidade que predispõe o organismo a um maior risco de doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão e câncer.

Turismo rural

Turismo rural

A Quinta é o local que alia turismo rural e sustentabilidade ambiental, onde pode vivenciar a Dieta Mediterrânica. As quintas, sobretudo as orgânicas, funcionam no respeito do ambiente e na conservação da paisagem natural, contribuem para a recuperação do território rural e das suas tradições e promovem um restaurante à base de alimentos saudáveis ​​e sazonais, típicos da Dieta Mediterrânica.

A atividade física

A atividade física

A atividade física é um aspecto fundamental da Dieta Mediterrânica, tanto que se insere na base da nova pirâmide alimentar proposta pelo INRAN (Instituto Nacional de Investigação Alimentar e Nutrição).

A alimentação equilibrada deve ser sempre acompanhada de uma atividade física como a caminhada, corrida, natação, ciclismo, ou simplesmente subir escadas, por ao menos 30 minutos por dia, cinco dias por semana. A atividade física, além de ajudar a manter o peso corpóreo, ajuda a prevenir muitas doenças que se desenvolvem por causa de um estilo de vida sedentário (obesidade, hipertensão, arteriosclerose).

Biodiversidade

Biodiversidade

A biodiversidade é a variedade de seres vivos que povoam a Terra e é medida em nível de genes, espécies, populações e ecossistemas. Essa variedade não se refere apenas à forma e estrutura dos seres vivos, mas inclui também a diversidade entendida como abundância, distribuição e interação entre os diferentes componentes do sistema. Graças às diferentes semeaduras em função das áreas e da rotação das culturas, a Dieta Mediterrânica respeita a biodiversidade e o território, garantindo o equilíbrio entre o homem e a natureza e ...

Cereais

Cereais

Um lugar privilegiado na Dieta Mediterrânea é ocupado pelos cereais, que junto com os vegetais e frutas ocupam a base da pirâmide alimentar. Arroz, milho, cevada, espelta e trigo pertencem ao grupo dos cereais. Esta última, em particular, é comum a todas as populações do Mediterrâneo, pois constitui a matéria-prima de alimentos como massas, pão, cuscuz e burghul. Os cereais são em sua maioria fonte de carboidratos complexos e o ideal seria consumir os integrais, pois o processo de refino os empobrece ...

Comunidades

Comunidades

As “comunidades”, assim como definidas na Convenção pela Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial UNESCO de 2003 e das relativas Diretrizes operativas, são todas as comunidades, grupos e, quando apropriado, indivíduos que criam, mantêm e transmitem o patrimônio cultural, e que devem ser ativamente envolvidos na sua gestão.

Comunidades emblemáticas

Comunidades emblemáticas

As “comunidades emblemáticas” são os grupos sociais territorialmente definidos representantes dos valores universais declarados Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade e particularmente responsáveis pela salvaguarda e valorização do elemento.

Estes comunidades, por razões históricas, científicas ou qualitativas, assumem uma particular importância no conjunto das comunidades nacionais dos sete Estados Parte (Itália, Espanha, Grécia, Marrocos, Portugal, Croácia e Chipre), e baseiam parte substancial de suas identidades e de suas comunidades na Dieta Mediterrânea, entendida como estilo de vida (do grego diaita).

Convívio

Convívio

O convívio, o prazer de compartilhar o tempo com os outros, é um dos elementos fundamentais da Dieta Mediterrânea, tanto que foi posto na base da “nova pirâmide alimentar” proposta pelo INRAN (sigla em italiano para Instituto Nacional para a Pesquisa de Alimentos e Nutrição).

Entre os povos do Mediterrâneo as refeições assumiram um significado ritual, um valor simbólico: graças ao hábito de comer juntos, não somente se nutre, mas se reforça o fundamento cultural das relações interpessoais, a garantia da identidade e da continuidade social e cultural, seja das comunidades, seja dos indivíduos que a compõe.

Cozinha

Cozinha

A cozinha tem um significado preciso dentro das normas sociais. 

A cozinha mediterrânea representa o lugar fundamental onde se recuperam gestos, costumes e tradições que pertencem à tradição, sem desistir de experimentar com criatividade. Entre os fogões realiza-se uma aplicação e uma reelaboração artística da tradição: graças à cultura da Dieta Mediterrânica, a cozinha é o lugar onde entram as matérias-primas e saem os pratos complexos, que são muito mais do que a simples soma dos componentes individuais. Outro elemento essencial na cozinha é o diálogo intergeracional, ...

Dieta Mediterrânea

Dieta Mediterrânea

A “Dieta Mediterrânica” é uma prática social baseada num conjunto de competências, saberes e tradições que vão da paisagem à mesa e que dizem respeito, na bacia do Mediterrâneo, às culturas, colheitas, colheita, pesca, conservação, processamento, preparação, cozimento e, acima de tudo, os métodos de consumo da refeição. Este corpo de conhecimento está associado ao ritmo de um calendário sazonal caracterizado pela natureza e significados religiosos ou rituais relacionados. A dieta mediterrânea como estilo de vida, ...

Dieta sustentável

Dieta sustentável

A Dieta Mediterrânea, além de saudável para as pessoas, também é saudável para o meio ambiente. O modelo alimentar adoptado pelos povos da bacia do Mediterrâneo é de facto reconhecido como um modelo sustentável, uma vez que, por ser essencialmente baseado em vegetais e cereais, tem um baixo impacto ambiental. A Dieta Mediterrânea, preferindo principalmente produtos locais frescos e sazonais preparados de acordo com receitas tradicionais, reduz as plantações em estufas e os impactos ambientais relacionados; respeita a biodiversidade através da rotação de ...

Frutas frescas e verduras

Frutas frescas e verduras

As frutas frescas e as verduras são os elementos principais da Dieta Mediterrânea, caracterizada principalmente pelo consumo de alimentos de origem vegetais.

Cotidianamente, segundo a pirâmide alimentar, se deve consumir cinco porções de frutas e verduras, já desde o café da manhã e depois também como lanche, fora das refeições. O consumo de frutas e verduras garante o fornecimento de vitaminas e minerais e ao mesmo tempo reduz a quantidade de calorias da dieta, pois contêm muita água e a fibra tem um efeito saciante.  O mais importante é escolher frutas e verduras da estação, seja para limitar o risco de consumir substâncias danosas usadas na agricultura, seja para ajudar a preservar a biodiversidade.

Fruta seca

Fruta seca

Além de se basear em uma grande quantidade de fruta fresca, a Dieta Mediterrânea aconselha o consumo cotidiano de fruta seca.

Amêndoas, nozes, pistache, contêm pouca água, uma discreta quantidade de proteínas, poucos açúcares e uma quantidade notável de ácidos graxos poliinsaturados particularmente benéficos como ômega-3 e ômega-6. As frutas secas têm também um alto poder calórico e por isso é aconselhado consumi-las em pequenas quantidades, mas muitas vezes.

Função social

Função social

O alimento, além do seu aspecto nutricional, tem em si uma forte função social.

Na história dos povos mediterrâneos, o estar juntos na mesa para fazer uma refeição, o convívio, sempre representou, e representa até hoje, um momento de afirmação e reconstrução da família e da comunidade, das respectivas histórias, ambientações, símbolos, credos e valores. Durante uma refeição vêm perpetuadas oralmente, de geração em geração, tradições e expressões, cujas funções sociais consistem em reforçar continuamente as relações entre aqueles que possuem o conhecimento e aqueles que aprendem.

Produtos lácteos

Produtos lácteos

O leite e seus derivados são os produtos de origem animal mais importantes na Dieta Mediterrânea e, segundo a pirâmide alimentar, devem ser consumidos diariamente.

O leite, e por consequência os produtos lácteos, são fonte de proteínas, sais minerais e vitaminas.

Mediterrâneo

Mediterrâneo

Desde a antiguidade o Mar Mediterrâneo foi, com o passar das épocas históricas, berço e sede de civilidade e cultura.

Desde os fenícios até os antigos gregos, do Império Romano até os nossos dias, os povos que estão à beira do Mare Nostrum desenvolveram práticas, conhecimentos, identidades e tradições comuns no mundo do artesanato, da pesca e da agricultura. Há muito tempo nas terras do Mediterrâneo se cultivam cereais, azeitonas, uvas, frutas e legumes e atividades que formam o território, conservando-o e salvaguardando-o na sua diversidade biológica e, contemporaneamente, cultural. E são esses produtos que o homem “mediterrâneo” desde sempre têm em sua mesa e que, graças a Dieta Mediterrânea, representam não só uma preciosa fonte de subsistência, mas também um inestimável patrimônio cultural de transmissão de conhecimentos, valores e tradições.

[12  >>  

o mipaaf criaMeddiet - O portal da Dieta Mediterrânea "é um projeto da Universidade de Roma Unitelma Sapienza, feito com cAtributo do Ministério da Política Agrícola, Alimentar e Florestal - Portaria nº. 93824 de 30 de dezembro de 2014 e atualizado em 2018 em colaboração com o CREA - Centro de Pesquisa em Alimentação e Nutrição.

Viale Regina Elena, 295 - 00161 Roma
Tel. 06-81100288 Fax 06-6792048
PI 08134851008
Política de Privacidade