Este portal não gerencia cookies de perfilamento, mas usa cookies técnicos para a autenticação, navegação e outras funções. Navegando, você aceita receber cookies no seu dispositivo. Visualiza todas as informações.
Italiano Inglês Francês Português Espanhol

cultura

Comunidades

Comunidades

As “comunidades”, assim como definidas na Convenção pela Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial UNESCO de 2003 e das relativas Diretrizes operativas, são todas as comunidades, grupos e, quando apropriado, indivíduos que criam, mantêm e transmitem o patrimônio cultural, e que devem ser ativamente envolvidos na sua gestão.

Comunidades emblemáticas

Comunidades emblemáticas

As “comunidades emblemáticas” são os grupos sociais territorialmente definidos representantes dos valores universais declarados Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade e particularmente responsáveis pela salvaguarda e valorização do elemento.

Estes comunidades, por razões históricas, científicas ou qualitativas, assumem uma particular importância no conjunto das comunidades nacionais dos sete Estados Parte (Itália, Espanha, Grécia, Marrocos, Portugal, Croácia e Chipre), e baseiam parte substancial de suas identidades e de suas comunidades na Dieta Mediterrânea, entendida como estilo de vida (do grego diaita).

Convívio

Convívio

O convívio, o prazer de compartilhar o tempo com os outros, é um dos elementos fundamentais da Dieta Mediterrânea, tanto que foi posto na base da “nova pirâmide alimentar” proposta pelo INRAN (sigla em italiano para Instituto Nacional para a Pesquisa de Alimentos e Nutrição).

Entre os povos do Mediterrâneo as refeições assumiram um significado ritual, um valor simbólico: graças ao hábito de comer juntos, não somente se nutre, mas se reforça o fundamento cultural das relações interpessoais, a garantia da identidade e da continuidade social e cultural, seja das comunidades, seja dos indivíduos que a compõe.

Cozinha

Cozinha

A cozinha tem um significado preciso dentro das normas sociais. 

A cozinha mediterrânea representa o lugar fundamental onde se recuperam gestos, costumes e tradições que pertencem à tradição, sem desistir de experimentar com criatividade. Entre os fogões realiza-se uma aplicação e uma reelaboração artística da tradição: graças à cultura da Dieta Mediterrânica, a cozinha é o lugar onde entram as matérias-primas e saem os pratos complexos, que são muito mais do que a simples soma dos componentes individuais. Outro elemento essencial na cozinha é o diálogo intergeracional, ...

Dieta Mediterrânea

Dieta Mediterrânea

A “Dieta Mediterrânica” é uma prática social baseada num conjunto de competências, saberes e tradições que vão da paisagem à mesa e que dizem respeito, na bacia do Mediterrâneo, às culturas, colheitas, colheita, pesca, conservação, processamento, preparação, cozimento e, acima de tudo, os métodos de consumo da refeição. Este corpo de conhecimento está associado ao ritmo de um calendário sazonal caracterizado pela natureza e significados religiosos ou rituais relacionados. A dieta mediterrânea como estilo de vida, ...

Função social

Função social

O alimento, além do seu aspecto nutricional, tem em si uma forte função social.

Na história dos povos mediterrâneos, o estar juntos na mesa para fazer uma refeição, o convívio, sempre representou, e representa até hoje, um momento de afirmação e reconstrução da família e da comunidade, das respectivas histórias, ambientações, símbolos, credos e valores. Durante uma refeição vêm perpetuadas oralmente, de geração em geração, tradições e expressões, cujas funções sociais consistem em reforçar continuamente as relações entre aqueles que possuem o conhecimento e aqueles que aprendem.

Mediterrâneo

Mediterrâneo

Desde a antiguidade o Mar Mediterrâneo foi, com o passar das épocas históricas, berço e sede de civilidade e cultura.

Desde os fenícios até os antigos gregos, do Império Romano até os nossos dias, os povos que estão à beira do Mare Nostrum desenvolveram práticas, conhecimentos, identidades e tradições comuns no mundo do artesanato, da pesca e da agricultura. Há muito tempo nas terras do Mediterrâneo se cultivam cereais, azeitonas, uvas, frutas e legumes e atividades que formam o território, conservando-o e salvaguardando-o na sua diversidade biológica e, contemporaneamente, cultural. E são esses produtos que o homem “mediterrâneo” desde sempre têm em sua mesa e que, graças a Dieta Mediterrânea, representam não só uma preciosa fonte de subsistência, mas também um inestimável patrimônio cultural de transmissão de conhecimentos, valores e tradições.

Mercado

Mercado

O mercado (emporio, agora, forum, bazaar, souk) é o lugar onde, historicamente, se desenvolvia a vida das comunidades do Mediterrâneo.

Geralmente situado na praça principal, o mercado era o lugar onde se compravam os alimentos, mas também onde se falava de comida e receitas, onde muitas vezes se discutia sobre política, religião e atualidade. Era o foco das relações sociais e culturais. Ir ao mercado ainda hoje é um rito: significa reencontrar uma harmonia com a natureza, com seu ciclo vital e com a sazonalidade graças aos produtos locais que ali se encontram. Na base da vida de mercado, se instaura uma relação pessoal de confiança entre cliente e vendedor. Tudo isso ao interno de uma moldura que tem uma forte carga simbólica e uma tradição antiguíssima que trouxe até os dias de hoje exemplos de arquitetura e de composição estética que são obras de arte.

Patrimônio Cultural Imaterial

Patrimônio Cultural Imaterial

Por “patrimônio cultural imaterial” se entendem as práticas, as representações, as expressões, os conhecimentos e o know-how que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte do seu patrimônio cultural.

Este patrimônio cultural imaterial, transmitido de geração em geração, é constantemente recriado pela comunidade e pelos grupos em resposta ao seu ambiente, as suas interações com a natureza e a sua história e dá a eles um senso de identidade e continuidade, promovendo, em tal modo, o respeito pela diversidade cultural e a criatividade humana.

O “patrimônio cultural imaterial” se manifesta nas tradições e expressões orais, incluindo a linguagem enquanto veículo do patrimônio cultural imaterial; nas artes do espetáculo; nos costumes sociais, eventos rituais e festivos; nos conhecimentos e práticas relativas à natureza e ao universo; no artesanato tradicional.

Festivais

Festivais

Momentos de grande convívio, expressões do vínculo estreito entre o homem e a natureza, acontecimentos de "sociabilidade rica e construtiva" e "experiências de vida comum" que unem diferentes culturas, facilitam a paz social, a redescoberta das raízes comuns, a valorização dos antigos tradições dos povos do Mediterrâneo. As festas, assim como as romerías espanholas, as panigirias gregas e os mussems marroquinos, representam uma componente fundamental da cultura da Dieta Mediterrânica. Nessas festas populares, geralmente ligadas a ...

Salvaguarda

Salvaguarda

Por “salvaguarda” se entendem as medidas voltadas a garantir a vitalidade do patrimônio cultural imaterial, incluso a identificação, a documentação, a pesquisa, a preservação, a proteção, a promoção, a valorização, a transmissão, em particular através de uma educação formal e informal, como também a revitalização dos diversos aspectos desse patrimônio.

Transmissão

Transmissão

Um dos elementos fundamentais da Dieta Mediterrânea é a sua transmissão de geração em geração.

As técnicas de cultivo dos produtos da terra e a arte da preparação das receitas, desde a antiguidade foram perpetuadas oralmente até chegar aos dias de hoje, junto com o patrimônio de valores sociais e culturais. Conhecimentos, técnicas, gestos, expressões e tradições vêm transmitidas todos os dias das antigas às novas gerações, seja durante a atividade de cultivo, de pesca e de artesanato, seja no momento da refeição juntos e dos rituais simbólicos da Dieta Mediterrânea.

Valor cultural

Valor cultural

Dia 16 de novembro de 2010 a Dieta Mediterrânea foi declarada Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

Além de ter elementos nutricionais benéficos para o organismo humano, e de ser considerada pelo seu aspecto alimentar, a UNESCO reconheceu a Dieta Mediterrânea como um elemento cultural, um conjunto de práticas sociais, tradicionais e agrícolas, enfim, como um estilo de vida. A Dieta Mediterrânea favorece a transmissão intergeracional de saberes e competências no campo enogastronômico, e não só, e promove o diálogo intercultural entre os povos do Mare Nostrum, reforçando, ao mesmo tempo, as suas identidades.

o mipaaf criaMeddiet - O portal da Dieta Mediterrânea "é um projeto da Universidade de Roma Unitelma Sapienza, feito com cAtributo do Ministério da Política Agrícola, Alimentar e Florestal - Portaria nº. 93824 de 30 de dezembro de 2014 e atualizado em 2018 em colaboração com o CREA - Centro de Pesquisa em Alimentação e Nutrição.

Viale Regina Elena, 295 - 00161 Roma
Tel. 06-81100288 Fax 06-6792048
PI 08134851008
Política de Privacidade